O QUE ACONTECE NUMA CONSULTA?

Numa primeira consulta é feita uma avaliação criteriosa que incide nos problemas que originaram a vinda à consulta, os antecedentes e historial clínico. O paciente deverá fazer-se acompanhar de todos os exames de diagnóstico complementar. A primeira consulta dura, geralmente, uma hora e trinta minutos. As restantes tem uma duração entre 45 e 60 minutos. Como em qualquer exame médico, é provável que lhe seja pedido para remover alguma roupa, no sentido de se identificar assimetrias, tensões ou alterações corporais. Geralmente aconselha-se roupa interior resguardada ou similar. Sendo a OSTEOPATIA, a maior valência, é certo que a junção de um maior conjunto de abordagens aumenta significativamente a possibilidade de tratamento. O conhecimento e experiência fazem com que cada caso seja avaliado e tratado como sendo único, já que cada indivíduo é UNO. A avaliação e o tratamento pode incluir um ou todos os serviços que dispomos, sendo que o nosso objetivo é a recuperação do indivíduo e da sua qualidade de vida. A eficácia do tratamento depende de cada indivíduo e do contexto clínico. Acima de tudo é necessário integrar conhecimentos de Anatomia, Fisiologia e Patologia, aplicando-os de forma precisa e responsável, tendo em consideração que cada indivíduo é único e que a sua patologia também. Assim, o tratamento assenta numa abordagem INTEGRAL, ESPECIALIZADA e INDIVIDUALIZADA.
UM INDIVÍDUO, UMA CONSULTA, UM TRATAMENTO.

EM QUE PROBLEMAS DE SAÚDE PODE AJUDAR?

De acordo com o General Osteopathic Council (ordem dos Osteopatas Britânicos) //www.osteopathy.org.uk , estas são as principais indicações para a Medicina Osteopática:
• Caímbras;
• Cólicas;
• Dificuldades de coordenação motora;
• Dificuldades na aprendizagem;
• Dificuldades respiratórias;
• Disfunções do sistema nervoso central;
• Disfunções neurovasculares e do sistema imunitário, etc.
• Disfunções temporo-mandibulares;
• Dor articular, incluindo dor com origem em osteoartrite;
• Dor artrítica e/ou reumática;
• Dor ciática;
• Dores de cabeça cervicogénica ou outros tipos de dores de cabeça;
• Dores de origem biomecânica e postural;
• Dores e desconforto generalizado;
• Dores generalizadas das costas, crónica e aguda;
• Dores musculares crónicas da coluna vertebral;
• Enxaquecas;
• Espasmos musculares;
• Fadiga crónica, dificuldades emocionais;
• Fibromialgia;
• Fibromialgia;
• Incapacidade de relaxar e ansiedade;
• Lesões associadas ao desporto;
• Neuralgias e compressões neurológicas;
• Problemas circulatórios;
• Problemas digestivos;
• Problemas do tecido conjuntivo;
• Problemas generalizados nas criança;
• Problemas músculo esquelético;
• Problemas relacionados com stress;
• Síndromes de sobre uso articular ocupacional;
Entre outras.



Quantos tratamentos são necessários?

O número de tratamentos depende do problema que for apresentado e da pessoa que está a ser tratada. O Osteopata deverá ser capaz de prever, a determinada altura, de quantos tratamentos devem ser necessário. A cooperação do(a) paciente para com os conselhos, exercícios ou alongamentos sugeridos também é um fator a ter em conta.



Há contraindicações?

A Osteopatia não trata tumores, artrite reumatoide, lúpus, espondilite anquilosante, artropatias traumáticas recentes, anquilose, insuficiências circulatórias localizadas, síndroma vertebro-basilar, hérnia discal extrusada e estados infeciosos. No entanto em muitos casos, quando em não estado agudo, a Osteopatia, mas dá mais qualidade de vida ao paciente através do alívio da dor.